Fundos Clave Total Return e Clave Long Only tem data de abertura prevista para 31/05

Assets, Fundos & Gestores

Fundos multimercado macro juntam os cacos após tombo no Brasil e aumentam posições no exterior

2021 definitivamente não tem sido um ano fácil para os fundos multimercados, principalmente os da categoria macro, isto é, aqueles que têm uma estratégia...

Inflação no Brasil deve atingir pico em setembro, projeta Vinland Capital

Pela primeira vez em 2021, o Boletim Focus, relatório publicado pelo Banco Central com a mediana das expectativas do mercado, divulgado nesta segunda-feira (16),...

Mercado está ignorando risco de racionamento em 2022, diz CIO da RPS Capital

Um possível racionamento de energia em 2022 é um assunto pouco abordado atualmente no mercado, mas que tem um potencial relevante para ganhar os...

Fundamento do bitcoin não mudou mesmo com forte queda, afirma Hashdex

Após atingir o topo histórico em abril, cotado acima dos US$ 63 mil, o bitcoin passou por um movimento de queda livre nos meses...

Recém-lançada por Rubens Henriques, ex-CEO da Itaú Asset, a gestora independente Clave Capital já levanta uma tremenda expectativa do mercado para 2021. O carro-chefe da asset, inclusive, deverá ser disponibilizado na plataforma do BTG Pactual digital no início de maio.

Na visão de Henriques, um fundo multimercado de Bolsa (ou um retorno absoluto de renda variável) é um modelo que faz sucesso no exterior e que considera como um produto do futuro. Gestoras como Dahlia Capital e Truxt Investimentos possuem produtos semelhantes.

“O melhor jeito de se capturar prêmio de risco em Bolsa no Brasil é ter esse mandato”, opina o CEO da Clave em apresentação ao B.Side Insights, afirmando que o mercado acionário é bom até o investidor tomar uma “porrada” de elevador. “Ter um mandato que você carrega risco em Bolsa, mas se protege, tem um valor muito grande.”

Time da Clave Capital

Um dos principais critérios para um investidor alocar capital em um fundo de investimentos está ligado à qualidade e à experiência da equipe de gestão. E isso a Clave tem de sobra.

A gestora já nasce com mais de 30 profissionais distribuídos entre São Paulo e Rio de Janeiro e tem como alguns de seus principais nomes André Caldas, ex-gestor do Itaú Hedge Plus por 8 anos e com mais de 20 anos de experiência, como CIO de renda variável, Rodrigo Carvalho, co-responsável pela estratégia macro da Vintage por 7 anos e há quase 30 anos no mercado, como CIO de macro, e Moacir Fernandes, sócio da Murano Investimentos por 8 anos, como CIO de estratégias sistemáticas.

“Conseguimos montar uma equipe que combina pessoas que têm uma experiência de fazer stock picking de longuíssimo prazo, gestão de long & short e um time macro para procurar hedges em outros mercados”, afirma Henriques. “Essa junção cria um produto de altíssima demanda no mercado e que pouquíssima gente sabe gerir.”

Características do total return da Clave

O multimercado total return da Clave Capital combina uma profunda análise fundamentalista, com gestão flexível, e a utilização de outros instrumentos para proteção, incluindo renda fixa, moedas e commodities por meio de posições direcionais e/ou relativas.

O fundo tem como mandato ficar comprado entre 10% e 70% em Bolsa, tendo como ponto médio algo em torno de 40%, e seu grande foco é acertar no stock picking em um processo no qual os gestores também são analistas, utilizando o método bottom up (leva em conta primeiro os fatores microeconômicos, em análises minuciosas de empresas).

Henriques destaca que a análise setorial ainda é bastante relevante, mas por outro lado um analista moderno necessita ter uma visão multidisciplinar e ser um bom investidor ao invés de um super especialista. “A Bolsa está mudando, há uma quantidade imensa de IPOs de empresas que são disruptivas e que tem um modelo de negócio diferente”, afirma. 

A carteira comprada (que aposta na alta das ações), com 15 a 25 papéis, do total return também irá compor os fundos long only. A diferença é que o long only institucional só terá ações de Brasil, enquanto a outra versão terá papéis domésticos e do exterior, ficando disponível apenas para investidores qualificados.

O aporte mínimo do fundo é de R$ 5 mil, com resgate em 31 dias.

Publicidade

Recomendado

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Recentes

Fechamento B.Side: bancos e commodities puxam Ibovespa para cima na contramão de NY; dólar sobe a R$ 5,37

Impulsionado pelo bom desempenho das commodities e do setor bancário, o Ibovespa registrou leves ganhos de 0,27%, aos 113.583,01 pontos. A alta do minério...

B.Side Daily Report: bolsas globais não definem sinal único em dia de valorização de commodities; Focus mostra 25ª alta seguida do IPCA

Bolsas iniciam a semana com desempenhos mistos Os índices futuros de Nova York não definem sinal único, enquanto as bolsas europeias operam majoritariamente no campo...

Fechamento B.Side: Ibovespa recua aos 113 mil pontos pressionado por exterior negativo e inflação persistente; dólar sobe a R$ 5,34

Contaminado pelo clima de maior pessimismo no exterior, o Ibovespa encerrou a sequência de três altas consecutivas e registrou queda de 0,69%, aos 113.282,67...

O futuro da Apple depois de seu último lançamento

Na semana passada, a Apple apresentou a sua nova linha de produtos, com mudanças em todos os segmentos, ainda que sem grandes novidades tecnológicas...

B.Side Daily Report: bolsas globais recuam com temores renovados sobre Evergrande; mercado monitora IPCA-15 de setembro

Bolsas globais caem com temores renovados sobre Evergrande Os índices futuros de Nova York e as bolsas europeias operam em queda nesta sexta-feira, após a...
Publicidade