Acabou o grande “boom” dos Estados Unidos, afirma CIO da O3 Capital

Assets, Fundos & Gestores

Gestores afirmam que investidor deve priorizar caixa para enfrentar momento de turbulência no Brasil

Questionado no evento BTG Bankers Experience 2021 sobre qual movimento seria adequado para o investidor nesse momento de turbulência no âmbito doméstico, Márcio Roberto...

Por que o Newton Tech Fund não investe na B3 quando o assunto é tech?

Atualmente, 10 meses após o lançamento do Newton Tech Fund, disponível na plataforma do BTG Pactual, uma pergunta com certeza sempre vai acompanhar o...

Quantitas projeta Selic a 10% em 2022 para depois retornar a 6,5% em 2023

Diante de um cenário de pressão inflacionária no Brasil e no mundo, a Quantitas, asset independente com mais de R$ 4 bilhões sob gestão,...

Fundos multimercado macro juntam os cacos após tombo no Brasil e aumentam posições no exterior

2021 definitivamente não tem sido um ano fácil para os fundos multimercados, principalmente os da categoria macro, isto é, aqueles que têm uma estratégia...

Depois de um primeiro semestre de 2021 forte para a economia americana, apoiada por um pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão, uma política monetária ultra expansionista, ritmo de vacinação acelerado e reabertura econômica, o momento ultra cíclico dos Estados Unidos está começando a chegar ao topo. Sendo assim, a maior economia do mundo deve passar a um nível de crescimento um pouco mais “natural” a partir da segunda metade do ano. Pelo menos é isso o que afirma Daniel Mathias, CIO da O3 Capital.

“Acabou o grande ‘boom’ dos Estados Unidos, na minha visão”, afirma Mathias em entrevista ao B.Side Insights.

Outro fator importante destacado pelo CIO da O3 foi a mudança recente de postura do Federal Reserve, o banco central americano. Segundo ele, a política monetária do Fed ainda está ultra expansionista, mas o presidente da instituição, Jerome Powell, já comunicou que está pensando em retirar estímulos por conta da inflação americana estar surpreendendo para cima.

“Apesar de ter vários fatores transitórios nos dados de inflação americanos, ainda assim é uma inflação rodando a 5% em 12 meses”, alerta Mathias, destacando que a grande discussão no momento é sobre se a inflação é transitória ou não, ou quanto ela pode durar. “A inflação é transitória até o dia que não é mais transitória.”

Esta recente mudança de postura do Fed, inclusive, é vista como positiva por Daniel Mathias, já que antes o banco central americano dava a impressão de que estava leniente em relação à inflação. Mas as últimas projeções de membros da instituição já antecipando para 2023 o aumento da taxa de juros estão corrigindo os rumos do mercado.

“Acredito que isso seja uma boa política monetária, porque se ele (Fed) se mantivesse tapando o sol com a peneira, o mercado iria punir e contaminar as expectativas, fazendo que a inflação tivesse um efeito mais permanente”, afirma o gestor, adicionando que estudos econométricos dizem que por volta de 50% ou mais da inflação futura é baseada nas expectativas. “Então o Fed está preocupado em manter a expectativa ancorada.”

O CIO da O3 ainda se diz receoso apenas com um cenário, que segundo ele ainda está muito distante, que seria uma inflação mais permanente que dispararia a ponto de o Fed ter que realizar um aperto monetário forte, gerando um problema grande de alavancagem e custo de dívida.

Publicidade

Recomendado

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais Recentes

Fechamento B.Side: Ibovespa ameniza perdas após permanência de Guedes e cai aos 106 mil pontos; dólar recua a R$ 5,62

Em mais um dia de pressão para os ativos domésticos, ainda refletindo os temores fiscais por mudanças no teto de gastos, o Ibovespa registrou...

Gestores afirmam que investidor deve priorizar caixa para enfrentar momento de turbulência no Brasil

Questionado no evento BTG Bankers Experience 2021 sobre qual movimento seria adequado para o investidor nesse momento de turbulência no âmbito doméstico, Márcio Roberto...

B.Side Daily Report: mercado digere alteração no teto de gastos por meio de PEC dos Precatórios; bolsas sobem no exterior

Bolsas globais adotam tom majoritariamente positivo Os índices futuros de Nova York não definem sinal único, enquanto as bolsas europeias sobem em bloco nesta sexta-feira....

Fechamento B.Side: Ibovespa desaba aos 107 mil pontos com risco fiscal persistente; dólar dispara a R$ 5,66

Repercutindo as falas de ontem do ministro da Economia, Paulo Guedes, que propôs um “waiver” (perdão) para permitir gastos de R$ 30 bilhões ou...

“O teto de gastos não é mais um instrumento de estabilização”, afirma Carlos Woelz, sócio-fundador da Kapitalo

Desde que integrantes do governo anunciaram no início da semana que parte do Auxílio Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família, poderá ser...
Publicidade