B.Side Insights

Newton Tech Fund

O Newton Tech Fund é um fundo de ações que traz a experiência do Venture Capital para a Bolsa de Valores, na avaliação de empresas de base tecnológica listadas em Nasdaq, NYSE e B3. O Fundo é gerido pela Catarina Capital e tem foco em companhias líderes e expoentes em segmentos como Semicondutores, Segurança Cibernética, Computação em Nuvem, SaaS, E-commerce/Marketplaces, Fintechs, Redes Sociais, Games e Streaming. Mais informações em newtonfund.com.br

B.Side Stocks

Quais lições podemos tirar da transação entre Twitter e Elon Musk

Quais lições podemos tirar da transação entre Twitter e Elon Musk

A aquisição do Twitter pelo bilionário Elon Musk traz à tona diversos pontos interessantes para debate. Primeiro, M&A (fusões e aquisições) é parte constante do jogo no mundo Tech, e gigantes em segmentos específicos também podem ser alvo de aquisições de grupos maiores (Microsoft comprando Activision e Salesforce comprando Slack são outros bons exemplos recentes).

Além disso, o tema de uma regulamentação mais severa para grandes conglomerados tech vai ganhar ainda mais força, tema este que já vem sendo debatido ao redor do globo há longos meses, mas ainda com pouca efetividade prática.

Por fim, o preço pago por Elon Musk pelo Twitter de US$ 54,20 por ação embute um prêmio interessante de 38% sobre o preço de mercado em 1º de abril (quando Musk anunciou que já havia comprado um stake de 9% no Twitter). Ou seja, tal prêmio inegavelmente sugere que a correção de ações de tecnologia pode ter sido exagerada com os recentes receios de juros maiores, mas escancara também que o valuation de US$ 73 por ação atingido em julho de 2021 no auge da pandemia pode ter sido um ponto fora da curva (o que pode ser aplicado à realidade de outras empresas tech que amargaram grandes correções em suas ações nos últimos meses).

Simplificadamente, quais lições e conclusões podemos tirar da transação do Twitter com base nos 3 pontos acima?

No que se refere a seara de possíveis M&As, salientamos o risco de ter posições à descoberto em ações tech. Deals “pouco prováveis” podem tornar realidade num piscar de olhos (Paypal comprando Pinterest – ainda que não tenha sido concluído – é um bom exemplo). Temos uma preferência clara por posições “long” (apostar apenas na alta) em ações de tecnologia ao invés de operar “short” (apostar na queda) nestes papéis.

No quesito regulamentação, fica claro que a pressão de órgãos reguladores, juristas, congressistas e até mesmo de parte da sociedade civil, por uma maior limitação do poder de atuação das Big Techs vai aumentar. Tal sentimento vem ganhando terreno com depoimentos contrários aos impérios de Facebook, Google e Amazon, no sentido de enfraquecê-los e fomentar mais competição. A senadora democrata Elizabeth Warren já ganhou os holofotes novamente pedindo urgência em regras mais duras para as Big Techs nos EUA. Vale ressaltar que em nossas análises no Newton Tech Fund, já penalizamos fortemente tais empresas neste quesito, embora inegavelmente a pressão negativa sobre estes papéis pode pesar na performance de curto prazo.

Já os valuations, após uma sangria desatada nos primeiros meses de 2022 – com vários papéis despencando 30%, 40%, 50% até 70% desde seus highs – como Paypal, Shopify, Roku, Twilio, entre tantos outros – fica a dúvida se houve exagero no otimismo antes, ou se há exagero no ceticismo agora. Certamente que parte dos valuations pagos estão relacionados ao momento macro global, levando-se em conta liquidez, crescimento econômico, perspectivas de investimentos e consumo, mas nos parece claro que um meio termo seria a resposta mais coerente agora. E o preço pago por Musk, mais uma vez, ilustra bem isso. Ou seja, empresas que atualmente negociam a múltiplos níveis pré-pandemia nos parecem atraentes num horizonte de médio/longo prazo, principalmente se levarmos em consideração que muitas delas multiplicaram suas receitas por 2, até 3 vezes, e em vários casos, deixaram de ser empresas deficitárias na geração de caixa e passaram a gerar caixa de fato. Certamente que no curto prazo, o sentimento negativo vindo das pressões inflacionárias, das sanções em função da guerra na Ucrânia, do ciclo de aumento de juros já em curso – e agora – de novos receios de lockdowns na China afetando a cadeia de suprimentos – tudo isso pesa contra uma rápida recuperação. Soma-se a isso uma safra de balanços que aparentemente terá poucos recursos para acalmar e animar o mercado, ainda que em vários casos, alguns números batam as estimativas dos analistas.

Mas num horizonte de médio/longo prazo, analisando um cenário de recuperação gradual e a solidez das operações das empresas que compõem o portfólio do Newton Tech Fund, acreditamos que exista uma janela de oportunidade bastante interessante para aportes graduais em ações com bons fundamentos.

Sobre o autoro Newton Tech Fund é um fundo de ações que traz a experiência do Venture Capital para a Bolsa de Valores, na avaliação de empresas de base tecnológica listadas em Nasdaq, NYSE e B3. O Fundo é gerido pela Catarina Capital e tem foco em companhias líderes e expoentes em segmentos como Semicondutores, Segurança Cibernética, Computação em Nuvem, SaaS, E-commerce/Marketplaces, Fintechs, Redes Sociais, Games e Streaming. Mais informações em newtonfund.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigo anterior B.Side Daily Report: bolsas globais operam no azul após tombo na véspera; IPCA-15 de abril é destaque na agenda doméstica
Próxima artigo Fechamento B.Side: Ibovespa encerra sequência de sete quedas seguidas e retoma os 109 mil pontos; dólar volta a operar acima de R$ 5,00, mas fecha em R$ 4,96